sexta-feira, 12 de agosto de 2016

As humilhações

1 Samuel 1.8-18

Portanto, humilhem-se debaixo da poderosa mão de Deus, para que ele os exalte no tempo devido (1 Pe 5.6).

Ofensa, injúria, insulto são feridas causadas pelos pecados e agressões de outras pessoas. Uma das coisas que mais nos incomoda é a ofensa. Ser ofendido por uma pessoa que deveria nos respeitar e nos amar é muito ruim. Tais ofensas, mentiras, calúnias e provocações tem um grande poder destruidor. Muitas vezes deixamos que tais semente do mal penetrem em nossos corações. Isso nos faz enfermar. Tornamo-nos pessoas amarguradas, irritadas, revoltadas, envenenadas de alma. Há muita gente assim, machucada e traumatizada pela ofensa. 
Em 1 Samuel 1, Ana foi incompreendida pelo seu líder espiritual, que ao invés de acolhê-la em sua dor, julgou-a como uma bêbada. Mas Ana não permitiu que seu coração seja tomado pela dor, aflição. Ela não permitiu que as ofensas matem seus sonhos. Ao invés de reagir com grossura, ela reage com doçura ao sacerdote. Ela explica com clareza dizendo: “Não bebi vinho nem bebida fermentada; eu estava derramando minha alma diante do Senhor.” Ana explicou a sua situação e seguiu em frente. Não podemos ficar ocupados lamentando sobre o que estão dizendo ou não a nosso respeito. Devemos seguir pensando nas coisas boas e mais importantes que temos a fazer. E lançar sobre Deus a nossa ansiedade. 
Lembrando sempre que as ofensas fazem parte do tratamento de Deus em nossas vidas. Jesus foi ofendido. Jesus foi ultrajado. Jesus disse aos seus discípulos: “Bem-aventurados sois quando por minha causa vos injuriarem e mentindo disserem todo mal contra vós; regozijai-vos e exultai porque é grande o vosso galardão nos céus” (Mateus 5.12). As humilhações que passamos servem para nos moldar e aperfeiçoar. As ofensas nos ensinam ser mais humildes. Quanto menor for nossa humildade maior será a dificuldade de resolver o problema das agressões que sofremos.


No lugar da ansiedade e da discórdia devemos nos humilhar.