domingo, 14 de agosto de 2016

As tentações

Mateus 4.1-11

Não sobreveio a vocês tentação que não fosse comum aos homens. E Deus é fiel; ele não permitirá que vocês sejam tentados além do que podem suportar. Mas, quando forem tentados, ele mesmo lhes providenciará um escape, para que o possam suportar (1 Co 10.13).

Na mitologia grega, as Sereias eram as 3 filhas do Deus Aquelôo e da Musa Calíope, que ao competirem com as Musas para ver quem tinha a voz mais harmoniosa e bonita, foram castigadas sendo transformadas em monstros com corpo de pássaro e cabeça humana. A única beleza que conservaram foi a linda voz harmoniosa que usavam para atormentar os marinheiros, que enfeitiçados com a voz das Sereias, se atiravam ao mar e se afogavam. As Sereias não poderiam deixar ninguém passar ileso aos seus cânticos ou então perderiam suas vidas. Um dia, um guerreiro muito inteligente chamado Ulisses (ou Odisseu), ao retornar à Ítaca, pediu aos seus companheiros que vedassem os ouvidos com cera e que o amarrassem ao mastro do navio, assim ele poderia ouvir o canto das sereias, sem obedecer a ele. As Sereias foram então derrotadas e desapareceram para sempre.
A tentação tem um poder que podemos chamar de enfeitiçador. Leva muitos a se atirar no pecado como aqueles marinheiros que se atiravam no mar para a morte. 
Não há mortal que não seja tentado! Até o próprio Jesus foi tentado. Tentação não é pecado. Pecado é cair em tentação. Permitir que a tentação determine seu comportamento. Ceder às suas proposições. Deus disse a Caim que ansiava matar seu irmão: “O seu desejo será contra ti, mas a ti cumpre dominá-lo” (Gn 4).
Como podemos resistir à tentação? Não adianta pedir para ser amarrado em um mastro. A maneira pela qual o Filho de Deus combateu a tentação foi através da mais profunda obediência e compromisso com a Palavra de Deus. Obedecer implica em conhecer. Conhecer requer leitura. Leitura é sem dúvida um investimento de tempo. Sem tempo para estudo da Palavra não haverá possibilidade de vencer a tentação. 


A tentação trabalha em nós a obediência à voz do Pai.