quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Bom

1 Pedro 1.3-12

Ele ama a justiça e a retidão; a terra está cheia da bondade do Senhor (Sl 33.5).

Quando ouvimos o noticiário parece que só existem desgraças, tragédias e confusões. Somos informados sobre todos tipos de problemas que estão acontecendo. A impressão que se tem é que o dito bíblico é enganoso. A terra, na verdade, está é repleta de desgraças! Mas quando olhamos para a vida, para o ano, para a terra de uma forma geral, com os olhos de quem conhece a misericórdia de Deus, não há outra expressão a proclamar, senão esta: “A terra está cheia da bondade do Senhor!”
Não permita que as pressões do dia a dia te empurrem a uma leitura terreal da vida. Não aceite que os medos, o passado, as influências sociais pautem sua vida. Leia a história com os olhos da misericórdia de Deus e perceberás, em cada canto, em cada pessoa, em cada gesto que a terra está cheia da bondade de Deus! 
Deus está trabalhando em nós. Deus está completando a obra que ele um dia começou. Podemos nada entender, mas confiemos naquele que é Fiel.
Muitas coisas que vemos tiram as certezas e a paz dos nossos corações. Mas não vivemos pelo que vemos. Nossos olhos podem ver apenas o que é terreal, nunca o que é divinal. Para vermos as coisas celestes necessitamos olhar com os olhos da fé. Não vivemos pelo que vemos e sim pelo que cremos. Nas turbulências da caminhada, um só é rocha firme: Deus. As demais coisas são passageiras, efêmeras, transitórias. Deus permanece e as obras de Deus em nós também.
Desta forma podemos dizer como Paulo “Aprendi a viver contente em toda e qualquer situação...” (Fp 4.11). Sempre devemos nos alegrar: “Alegrai-vos sempre no Senhor, outra vez vos digo: alegrai-vos” (Fp 4.4). Que possamos dizer como o salmista em sua poesia: “Em todo tempo eu louvarei ao Senhor, sempre estará nos meus lábios o seu louvor” (Sl 34.1).
Fomos regenerados para uma viva esperança por meio de Cristo. Nisto devemos exultar mesmo passando por um tempo de tristeza e tribulação. 

Quem crê em Deus pode exultar com alegria indizível.