quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Chamado

Lucas 1.26-38

Jesus respondeu: “A obra de Deus é esta: crer naquele que ele enviou” (Jo 6.29).

O texto que lemos no Evangelho de Lucas nos fala do momento da anunciação do nascimento de Jesus. O anjo aparece a jovem Maria, que estava noiva de José, e lhe faz um anúncio: Deus tem uma obra a realizar na tua vida e a partir de ti! Esta obra é que ela seria a mãe do Salvador Jesus. Diante deste anúncio há algumas lições importantes para a vida da Igreja hoje sobre a Obra de Deus:
1. Desafio de saber o que fazer. Deus aponta a direção. O anjo apareceu a Maria e deu o tom da obra, daquilo que Deus queria realizar: “Eis que conceberás e darás à luz um filho a que chamarás pelo nome de Jesus!” (v.28-32). Como a obra é de Deus, é preciso entendermos as prioridades e os propósitos de Deus para ela. E como isso é difícil.  Cada qual tem suas opções. Mas quando a obra é de Deus, nada é mais importante do que fazer o que Deus quer.  
2.  Desafio de como fazer a obra. O anjo anunciou a Maria os projetos de Deus. Maria se inquieta. “Perturbou-se muito Maria e pôs-se a pensar...” (v 29). Depois a jovem indaga ao anjo: – Como isso acontecerá? O anjo respondeu a Maria: – “Descerá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te envolverá!” (v. 35). Não há como realizar a obra de Deus alheios à ação do Espírito e do poder de Deus.  A força para realizar a obra de Deus vem do próprio Senhor. 
3. Desafio de quem irá fazer a obra.  Maria ouviu tudo, questionou, pesou tudo e disse: “Aqui está a serva do Senhor, que se cumpra em mim todo o teu querer” (v.38). Deus não precisa de grandes homens. Deus não precisa de grandes personalidades. Deus precisa de gente comprometida com sua vontade, sua palavra e seu querer. Hoje temos milhares de evangélicos e infelizmente vemos pouca coisa realmente acontecendo. Mas Deus pode fazer muito através de uma jovem, de um homem, de uma senhora, de uma pessoa que chamada por ele, se dedique a sua obra com toda verdade. 

Jesus morreu na cruz por cada um de nós, e o que temos feito pela sua obra?