domingo, 18 de setembro de 2016

Enfrentando o medo

Deuteronômio 20.1-4

No amor não há medo; ao contrário o perfeito amor expulsa o medo, porque o medo supõe castigo. Aquele que tem medo não está aperfeiçoado no amor (1 Jo 4.18).

Mestre, quem foi o teu mestre?
- Eu tive centenas de mestres – foi a resposta.- Se tivesse que dizer o nome de todos eles, levaria meses, talvez anos, e mesmo assim ainda terminaria esquecendo alguns.
- Entretanto, não houve algum deles que marcou mais que outros?
- Foi um cachorro. Eu estava indo em direção ao rio, para beber um pouco de água, quando o cachorro apareceu. Ele também estava com sede. Mas, quando chegou perto da água, viu outro cachorro ali – que não era mais que sua própria imagem refletida.
“Ficou com medo, afastou-se, latiu, fez tudo para que afastar o outro cachorro. Nada aconteceu, é claro. Finalmente, porque sua sede era imensa, resolveu enfrentar a situação e atirou-se dentro do rio; neste momento a imagem sumiu.
O medo é uma reação comum diante de um novo desafio. Ficamos com medo quando percebemos que nossas forças não são suficientes para nos dar segurança. Como vencer o medo? O cachorro  atirou-se dentro do rio. Vencemos o medo enfrentando nossos medos. A sede do cachorro foi maior que o seu medo. Nossa vontade de vencer deve ser maior que nosso medo. Sempre devemos ir em frente mesmo com medo sabendo que Deus está ao nosso lado e vai nos ajudar em nossas limitações. 
Se amamos a Deus em nosso coração, a lembrança do Seu amor está em nós. Esse amor de Deus lança longe o medo. Confiamos neste amor. Confiamos que por amor Deus cuida de nós. Quem vive atormentado pelo medo está se esquecendo que Deus é quem peleja por nós e nos salva. Quanto mais relutamos em enfrentar nossos medos deixamos de desfrutar grandes vitórias.


O medo é bom quando nos faz olhar para Deus