sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Julgamento

Mateus 7.1-5 

Não julguem apenas pela aparência, mas façam julgamentos justos (Jo 7.24). 

Uma garota segurava em suas mãos duas maçãs. Sua mãe entrou e lhe pediu com uma voz doce e um belo sorriso: “Querida, você poderia dar uma de suas maçãs para mamãe?” A menina levanta os olhos para sua mãe durante alguns segundos, e morde subitamente uma das maçãs e logo em seguida a outra. A mãe sente seu rosto se esfriar e perde o sorriso. Ela tenta não mostrar sua decepção quando sua filha lhe dá uma de suas maçãs mordidas. A pequena olha sua mãe com um sorriso de anjo e diz: “É essa a mais doce.” 
A todo instante estamos emitindo opinião e julgamento em relação às coisas que vemos. Falamos a respeito do tempo, dizendo: Acho que vai chover. Falamos sobre uma comida: Deve estar deliciosa. Mas é preciso tomar muito cuidado quando este julgamento é a respeito de alguma pessoa. Podemos errar quando nosso achismo vira um julgamento maldoso das pessoas. 
Mesmo que pela aparência algo esteja errado com alguém, devemos analisar muito bem a situação, antes de chegar a uma conclusão. Muitas coisas seriam melhor esclarecidas se no lugar de nos sentirmos ofendidos por uma atitude, procurássemos conversar e esclarecer a situação. É fácil se afastar e criticar falando mal de alguém sem mesmo conhecer toda a verdade. 
Somos chamados para amar as pessoas. No lugar do mal julgamento, o amor espera e vê o bem nas pessoas. O amor procurar ajudar quem está errado e não aumentar o seu erro através da crítica. Embora tenhamos a responsabilidade e a capacidade de julgar as coisas, não devemos nos apressar julgando pela aparência. Algumas coisas não competem a nós resolver. Podemos entregar nas mãos de Deus, o supremo juiz. Nada ficará esquecido. Ele julgará a todos com retidão e verdade. “Não julguem nada antes da hora devida; esperem até que o Senhor venha. Ele trará à luz o que está oculto nas trevas e manifestará as intenções dos corações” (1 Co 4.5). 


Cada um receberá de Deus a sua aprovação.