sexta-feira, 21 de abril de 2017

Um escritor

Salmo 45.1-3

“Vede com que letras grandes vos escrevi de meu próprio punho” (Gl 6.11).

“Somos todos escritores, só que alguns escrevem e outros não”, escreveu José Saramago. Esta frase tem feito muito sentido na minha vida. Quando comecei a escrever achava que não conseguiria. Até que percebi que escrever é simplesmente transferir o que temos em nossa mente, o que temos estudado, para o papel ou para o computador. Depois de algum tempo, isso vai se tornando um hábito. O que escrevemos fica guardado, é compartilhado. Se não escrevermos, amanhã, nem nós mesmos vamos nos lembrar sobre o que estávamos pensando.
No salmo 45 vemos o salmista escrevendo um cântico homenageando o rei. Um cântico de casamento. O escritor do salmo revela que enquanto estava escrevendo, boas palavras encheram seu coração, lindas palavras vieram à sua mente. Ele diz: “A minha língua é como a pena de um habilidoso escritor.” Pode ser que este salmo tenha sido composto primeiro oralmente e, depois, escrito. 
Somos todos escritores. Escreva o que você fala, escreva o que você pensa e se torne um escritor. Temos um compromisso de transmitir a mensagem da palavra de Deus. Em Apocalipse 22.10 encontramos o seguinte ensino: “Não seles as palavras da profecia deste livro, porque o tempo está próximo.” Não sele, não feche, não guarde sua Bíblia em casa. Anuncie falando, pregando e também escrevendo sobre os seus ensinos. Seu coração vai se encher de boas palavras quando você assumir o compromisso de escrever sobre o livro da vida. 


Separe tempo para escrever.