quinta-feira, 25 de maio de 2017

Daqui a cem anos

Salmo 49

“Não confieis naquilo que extorquis, nem vos vanglorieis na rapina; se as vossas riquezas prosperam, não ponhais nelas o coração” (Sl 62.10).

Hoje achamos tantas coisas importantes. Valorizamos o que temos e sentimos falta de muitas coisas que não temos. Mas que diferença isso fará daqui a cem anos? Que diferença fará daqui a cem anos a casa em que você morou, os carros que você comprou, o salário que você recebeu, os cargos que você ocupou? 
O Salmo 49 fala sobre a vaidade do homem, sobre os que confiam nas suas riquezas e se orgulham das suas grandes fortunas (v.6). Fala sobre os que esquecem que por mais dinheiro que tenham não poderão viver para sempre. Mesmo que sejam muito importantes, ainda que tenham dado seus nomes a terras, irão morrer e deixar suas riquezas para outros. 
Este salmo quer nos lembrar que a nossa esperança está em Deus. Não devemos ficar preocupados com o que temos ou com inveja do que os outros possuem. A verdadeira riqueza consiste no que somos e não no que temos. “Mas Deus remirá a alma do poder da morte” (v.15). O verdadeiro poder vem de Deus e não de títulos conquistados neste mundo. “Riquezas e glória vêm de ti, tu dominas sobre tudo, na tua mão há força e poder; contigo está o engrandecer e a tudo dar força” (1Cr 29.12).
Este salmo traz uma palavra de encorajamento para todos que passam necessidade e se sentem oprimidos ao ver tantas pessoas ricas ao redor, ostentando suas posses. Aqui também encontramos um grande alerta para aqueles que colocam seu coração em suas riquezas. Estes poderão ficar sem nada - sem riquezas e sem a salvação.


Quem somos e não o que temos fará diferença em nossa vida daqui a cem anos.