sexta-feira, 19 de maio de 2017

Indiferença

Isaías 57.14-16

“Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens; homem de dores e que sabe o que é padecer; e, como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e dele não fizemos caso.” (Is 53.3). 

“Se teus esforços forem vistos com indiferença, não desanimes, pois o sol ao nascer dá um espetáculo todo especial, no entanto a plateia continua dormindo”. Não sei quem escreveu, mas acho esta frase interessante e motivadora. Principalmente quando nos sentimos carentes e desprezados. Não devemos desanimar porque as pessoas não estão nos elogiando, reconhecendo nossas habilidades e, às vezes, nem nos cumprimentando. Se lembrarmos que o próprio Deus foi desprezado pelos homens, foi morto por fazer o bem, vamos reconhecer que não somos tão menosprezados como pensamos. Quando formos desprezados ou criticados, devemos refletir com atenção e aprender com esta situação. Aprender a tratar melhor os outros, dar atenção e demostrar amor pelas pessoas. É melhor ouvir uma repreensão sincera do que um elogio falso, o que nem sempre queremos. Como diz Norman Vincent: “O mal de quase todos nós é que preferimos ser arruinados pelo elogio a ser salvos pela crítica”. 
Mais importante do que ser reconhecido pelos homens, é saber que somos reconhecidos por Deus. Ele não rejeita seus filhos. Ele perdoa e age com misericórdia. “É bom ser importante, mas, na verdade, o importante é ser bom” (Malba Tahan). É bom ter o reconhecimento dos outros, mas é melhor merecer ser reconhecido. Façamos o bem sempre com o desejo de agradar a Deus e servir ao próximo. Que não esteja em nosso coração fazer o bem para receber qualquer elogio ou gratificação. 


Mais do que os aplausos dos homens, Deus vivifica o nosso coração abatido.