terça-feira, 20 de junho de 2017

Servindo com amor

Mateus 6.2-4

“Tendo purificado a vossa alma, pela vossa obediência à verdade, tendo em vista o amor fraternal não fingido, amai-vos, de coração, uns aos outros ardentemente” (1Pe 1.22).

Aprendemos na Bíblia que devemos ser servos uns dos outros, andar em amor. Não devemos fazer o bem aos outros para depois cobrar. Mas um problema muito comum nos relacionamentos é exatamente este. O preço que as pessoas cobram por fazer o bem ao outro. Isso pode até ser inconsciente. Muitos, quando fazem algo pelo próximo, um dia irão cobrar. Em Mateus 6, Jesus diz que ajudar alguém deve ser uma atitude discreta – “Não toques trombeta”. Não faça isso para aparecer para os outros. Também é uma atitude que deve ser esquecida: “ignore a tua mão esquerda o que faz a tua mão direita”. Não devo lembrar que ajudei alguém em um auto elogio. Não devo ficar lembrando da minha boa ação, como se esta pessoa tenha, a partir de agora, uma dívida para comigo por isso. 
Devemos servir uns aos outros em amor, como o amor de Deus que não exige pagamento. Aliás, imagine que ruim se tivéssemos que pagar para sermos amados ou recebermos para amar. Amar é uma responsabilidade que temos para com todos. “Amem uns aos outros com o amor de irmãos em Cristo e se esforcem para tratar uns aos outros com respeito” (Rm 12.10 NTLH). A única coisa que devemos ter em nosso coração quando fazemos o bem a alguém é o desejo que esta pessoa possa ficar melhor com a nossa ajuda. 


Seremos conhecidos como discípulos de Jesus, pela prática do amor sincero.