domingo, 30 de julho de 2017

Arrependimento

Salmo 51.1-12

“Todo homem piedoso te fará súplicas em tempo de poder encontrar-t” (Sl 32.6a).

A inversão de valores é um problema muito grave. Para muitos, a transgressão é motivo de orgulho, fazer as coisas de uma forma mais correta, vergonha. “Para o homem moderno, o pecado é uma bobagem que leva à auto repressão, por isso, insiste em abolir a palavra pecado, juntamente com seus antigos princípios. Contudo, os ensinos de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo, contra o pecado são francos” (Martin Lloyd-Jones). Jesus diz: “se a tua mão ou o teu pé te faz tropeçar, corta-o e lança-o fora de ti; melhor é entrares na vida manco ou aleijado do que, tendo duas mãos ou dois pés, seres lançado no fogo eterno” (Mt 18.8).
Precisamos reconhecer nosso pecado. Nos arrepender dele, e não alimentá-lo e exibi-lo como se fosse uma qualidade. No Salmo 51, Davi confessa seu adultério com Bate-Seba. Sua oração é cheia de sinceridade. Ele diz: “Eu conheço as minhas transgressões”. Confrontado pelo profeta Natã, reconheceu que estava errado. Também deixa claro que o pecado é uma ofensa direta a Deus. “Pequei contra ti, contra ti somente”. Ele sabia que somente Deus poderia perdoá-lo. Por isso, pede a Deus: “Apaga as minhas transgressões”. Mas o desejo de Davi não era somente ficar livre da sua culpa, limpo de suas iniquidades. Ele pede a Deus por uma mudança em seu coração. Ele diz: “Cria em mim, ó Deus um coração puro”.
Somente quando buscamos a compaixão de Deus, quando confiamos nas misericórdias de Deus é que podemos, na presença do Espírito Santo, ter restituída a alegria da salvação.


Feliz é aquele que encontra o perdão.