sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Sob a ira

Romanos 1.18-32

“Porque Deus não nos destinou para a ira, mas para alcançar a salvação mediante nosso Senhor Jesus Cristo” (1Ts 5.9).

É claramente visível que muitas coisas que a Bíblia chama de pecado são aceitas socialmente. Em Romanos 1, Paulo toca neste assunto, falando sobre a revelação da ira de Deus. Ele afirma que não existe falta de conhecimento por parte das pessoas que se entregam a práticas pecaminosas. Deus se faz perceber dentro do ser humano que, de alguma forma, sabe em seu coração que desagrada ao criador. Deus se faz manifesto entre eles (neles). Todos sabem que Deus existe. Os homens tentam anular Deus, ignorar a realidade de Deus e sua verdade. Fazem isso buscando fabricar ídolos para si mesmos. “Porquanto, tendo conhecimento de Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças; antes, se tornaram nulos em seus próprios raciocínios, obscurecendo-se lhes o coração insensato” (Rm 1.21). Por isso, são indesculpáveis e estão vivendo sob a ira de Deus. São merecedores da condenação. 
Esta ira já ocorre no presente. Ela se manifesta em Deus permitir que os pecadores permaneçam em seus pecados. “Deus os entregou a uma disposição mental reprovável, para praticarem coisas inconvenientes” (Rm 1.28). Não há coisa pior para o pecador do que permanecer pecando. Assim, mantém o fogo da ira aceso até o dia em que serão condenados. “São passíveis de morte os que tais coisas praticam” (Rm 1.32).
Clamemos pela misericórdia de Deus, pedindo que não nos deixe cair em tentação. Que Deus não nos entregue ao pecado. Que possamos pregar o verdadeiro evangelho a esta sociedade perdida. 


Obrigado, Senhor, pois a sua maravilhosa graça é maior que o meu pecar.