terça-feira, 5 de setembro de 2017

Crédito de Deus

Salmo 144

“Bendito seja o Senhor, rocha minha, que me adestra as mãos para a batalha e os dedos, para a guerra” (Sl 144.1).

Se existe um homem que poderia se engrandecer, achar-se poderoso, este seria Davi. Ainda jovem, enfrentou um gigante, se tornou um grande rei, possuía riquezas, venceu muitas batalhas. Comparado aos outros homens era o maior. Mais famoso e temido. Mas ele tinha a clara consciência de que sua força estava em Deus. Tinha humildade e convicção de que todas as vitórias vinham do Senhor. Ele diz: “Louvem o SENHOR Deus, a minha rocha; ele me prepara para a batalha e me ensina a combater” (Sl 144.1 - NTLH). Ele sabia que o segredo da sua vitória vinha de Deus, que o ensinava o que devia fazer. Grande era a humildade de Davi. 
Falando sobre este justo reconhecimento da importância de Deus na vida de Davi, Miriam Victalino diz: “Foi assim para Davi, e não poderia ser diferente para nós, que depositamos nele as nossas forças e esperança, mormente quando colocamos diante do Senhor nossos desafios, alvos e vidas: experimentamos vitórias e mais vitórias; e quanto mais vitórias, mais temos certeza de sua origem, o Senhor!”
Não podemos cair no engano de pensar que temos algum mérito próprio. Não devemos pensar que nossa sabedoria, nossa força ou conhecimento são responsáveis pelo nosso sucesso. Tudo isso vem de Deus e serve para que possamos cumprir o propósito que ele tem para a nossa vida aqui neste mundo. E para que através de nossa vida, Deus seja glorificado. “É necessário que ele cresça e que eu diminua” (Jo 3.30).


Reconhecimento e crédito devem ser dados a quem de direito.