domingo, 5 de novembro de 2017

Ídolo EU

Habacuque 2.18-20

“Porque todos os deuses dos povos não passam de ídolos; o SENHOR, porém, fez os céus” (Sl 96.5).

É fácil concordar com o ensino bíblico de que ídolos feitos por mãos humanas são apenas objetos. A pergunta que faz Habacuque, “pode um ídolo ensinar?”, é facilmente respondida com um “não”. Ele diz sobre os ídolos: “Não há fôlego nenhum”. Ídolos não têm vida. Como diz o Salmo 115.5: “Têm boca e não falam; têm olhos e não veem”. 
Mas, mesmo não acreditando em ídolos, mesmo não tendo construído ou comprado nenhuma imagem para adorar, estamos sujeitos a praticar o pecado da idolatria. R. W. Glenn define idolatria dizendo: “Idolatria não é algo fora de você, mas no seu coração. É querer, ansiar, almejar algo que Deus proíbe, ou querer, ansiar, almejar algo que não é mau em si mesmo, mas que está começando a ocupar o palco central em sua vida no lugar de Deus. O deus da sua vida é o ídolo do eu”. Idolatria é mais do que confiar em amuletos ou estátuas, é centralizar a vida em qualquer coisa que não seja Deus. Pode ser a família, estudos, esportes, dinheiro, sexo. Seu ídolo se encontra na resposta à pergunta: “minha vida vale a pena por?”, “Tudo está bem por causa de?”. O que quer que faça sua vida valer a pena pode ser o que está ocupando o lugar de Deus.  
A única forma que existe para fugir da idolatria é colocar Jesus no trono de nosso coração. É negar a si mesmo, crucificar o eu, tomar a sua cruz e seguir a Jesus. 


Adore a Deus.