sábado, 25 de novembro de 2017

Tesouro abandonado

2Reis 22.8-13

“Bom é o SENHOR para os que esperam por ele, para a alma que o busca” (Lm 3.25).

Partituras de Bach, depois da sua morte, foram esquecidas e abandonadas numa igreja. Algum zelador, ignorante de partituras, resolveu ganhar algum dinheiro com aqueles papéis velhos. Vendeu-os a um açougue que passou a usar a música de Bach para embrulhar carne. Mendelssohn foi comprar os seus bifes naquele açougue, e assombrou-se com a música que embrulhava a carne. E foi assim, graças a Mendelssohn, que podemos ouvir músicas belíssimas de Bach.
Lendo esta história, me lembrei da passagem bíblica que conta que Hilquias encontrou o livro da lei perdido dentro do templo. Eles viviam afastados da verdade, mas muito perto da palavra da verdade. Quando Josias recebeu o livro ficou muito comovido em saber que por muito tempo estavam vivendo distante da verdade. “Nossos pais não deram ouvidos às palavras deste livro, para fazerem segundo tudo quanto de nós está escrito” (2Rs 22.13b). 
Muito perto de nós está a palavra de Deus e os seus ensinos de vida. Mas eles também podem estar muito longe se estão perdidos, se foram abandonados no porão da igreja. Não dar importância ao que Deus diz é o mesmo que perder, esquecer, distanciar-se dele. Muitas coisas boas perdidas ou esquecidas precisam ser resgatadas em nossa vida. Precisamos fazer uma limpeza naquilo que está ocupando indevidamente lugar e novamente colocar em evidência, dar valor àquilo que é o mais importante e ficou esquecido. 


Quem busca a Deus encontra o maior tesouro.