terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Irritados

Provérbios 29.9-11

É enfatuado, nada entende, mas tem mania por questões e contendas de palavras, de que nascem inveja, provocação, difamações, suspeitas malignas” (1Tm 6.4).

Parece que as pessoas conseguem nos irritar com facilidade. Mas podemos dizer que poucas coisas são importantes a ponto de provocar irritação. E são exatamente estas “pequenas” coisas que nos pegam de surpresa e nos deixam muito bravos. Um palestrante disse: “O sábio é dono de sua perfeita paz. Se alguém me enfrenta, grita, perde o controle, está me convidando para entrar no universo perturbado dele. O idiota aceita todos os convites. O sábio declina de todos. Se a paz é minha e a perturbação é do outro, não existe motivo para trocar esta propriedade. A ira é inimiga da sabedoria”. Eclesiastes 7.9 diz: “Não te apresses em irar-te, porque a ira se abriga no íntimo dos insensatos”. Como dizem: Agredir alguém é como jogar brasa nesta pessoa. Pode atingi-la ou não. Mas, com certeza, queimará a sua mão. Quando alguém tenta nos atingir, podemos desviar ou abraçar as brasas que nos são jogadas. 
Tem-se dito que vivemos em um tempo de uma geração mimimi, geração de mimados. Muito estimulados ao orgulho e pouco tolerantes com as críticas. Qualquer coisa já é motivo de sentir-se humilhado, injustiçado. Muito preocupado com seus direitos e pouco com as suas responsabilidades. É preciso deixar a vaidade, deixar a mania por questões sobre coisas quem nem mesmo conhece direito. Deixar de discutir e brigar, insultar e desconfiar dos outros. Sejamos sábios, conciliadores, amigos, pacificadores, pessoas com domínio próprio. 


Facilidade para encontrar a paz e viver em paz tem quem se afasta de contendas.