quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Agradar a todos

1Tessalonicenses 4.1-2

Esforcem-se para ter uma vida tranquila, cuidar dos seus próprios negócios e trabalhar com as próprias mãos, como nós os instruímos (1Ts 4.11).

Muitas pessoas preocupam-se mais em agradar a quem está perto do que fazer o que é correto. Precisamos viver bem diante de Deus e dos homens, mas é preciso tomar cuidado para que no desejo de estar bem diante dos homens, não nos afastemos de Deus. Uma ilustração sobre um homem, um menino e um burro pode ilustrar muito bem este problema. 
Um pai andava pelas ruas com seu filho e um jumento. O pai ia montado no animal, enquanto o filho o conduzia, puxando o burrico por uma corda. - Pobre criança! - exclamou uma pessoa na rua. - Uma criança tão pequena se esforçando tanto! Como pode o pai ficar ali sentado tão calmamente em cima do burro, vendo o menino virar um farrapo de tanto correr. O pai tomou a sério a observação, desmontou do jumento na esquina seguinte e colocou o menino sobre a sela. Não passou muito tempo, outro passante ergueu a voz para dizer: - Que absurdo! O pequeno fedelho vai lá sentado como um sultão, enquanto seu velho pai corre ao lado. Esse comentário magoou o menino, e então ele pediu ao pai que montasse também no burro, às suas costas. - Onde já se viu uma coisa dessas! - resmungou uma mulher que passava. Tamanha crueldade com os animais! O lombo do pobre jumento já está até envergando. Como pode esse velho e seu filho usarem o animal como se ele fosse um sofá? Pobre criatura! O pai e o filho se entreolharam e, sem dizer uma palavra, desmontaram. Entretanto, mal tinham dado alguns passos, outro estranho fez troça deles: - Graças a Deus não nasci tão otário assim! Por que vocês dois conduzem esse jumento se ele não lhes presta serviço algum, se nem mesmo serve de montaria para um de vocês? O pai colocou um punhado de palha na boca do jumento, pôs a mão sobre o ombro do filho e disse: - Independentemente do que fazemos, sempre há alguém discordando da nossa atitude.  


Fazer o que é correto é mais importante do que agradar os outros.