domingo, 11 de fevereiro de 2018

Ainda Sobrará

2Reis 4.42-44

Todos comeram e ficaram satisfeitos, e os discípulos recolheram doze cestos cheios de pedaços que sobraram (Lc 9.17).

Certa vez um homem trouxe para Eliseu 20 pães assados com cereais da primeira moagem da estação e algumas espigas verdes. Eliseu mandou que o seu empregado desse aquela comida a um grupo de profetas. O empregado, não entendendo como iria distribuir aquela pequena quantidade de alimento para cem pessoas, questionou: — O senhor acha que isto dá para cem homens? Eliseu respondeu: — Entregue a eles, e eles comerão, pois o SENHOR Deus diz que eles vão comer e ainda vai sobrar. Aí o empregado lhes deu a comida e, como o SENHOR tinha dito, todos comeram e ainda sobrou.
“Em vez de levar as primícias da colheita aos sacerdotes apóstatas de Betel ou Dã, o homem entregou-as a Eliseu” (Comentário B.G.). Este gesto foi abençoado quando o profeta, orientado por Deus, manda servir os pães a todos os presentes. “Assim diz o Senhor: Comerão e sobejará” (v. 43b). Esta história é semelhante à história da multiplicação dos pães e peixes narrada nos evangelhos. Na primeira multiplicação (o único milagre, além da ressurreição, registrado nos quatro evangelhos) haviam apenas cinco pães e dois peixes para alimentar cinco mil homens.  
Como Eliseu, Jesus se preocupou com a necessidade diária de seu povo. Ensinava e alimentava os que ensinava. A grande lição que podemos aprender é que Deus sustenta seu povo, física e espiritualmente. Mesmo que aparentemente não seja possível obter alimento, Deus providenciará o que necessitamos e ainda mais do que o necessário. A aplicação não se limita ao alimento físico. Jesus disse que ele é o pão da vida (Jo 6.22-40). Quem crê em Jesus se alimenta da verdade. Jesus deu sua vida para nos salvar. Na santa ceia, quando comemos o pão e bebemos o cálice, temos nossa fé fortalecida. Quem come o alimento fornecido por Deus, quem se alimenta de sua palavra fica satisfeito. 

Jesus nos dá a comida que permanece para a vida eterna.