quarta-feira, 28 de março de 2018

Poder pode

Lucas 21.34-38

Todos esses males vêm de dentro e tornam o homem ‘impuro’ (Mc 7.23).

Algumas moças foram visitar uma mina de carvão de pedra. Uma delas apareceu lindamente trajada de branco. As amigas censuraram-na por isso, porém, ela apelou para o velho mineiro que iria servir de guia. Disse: - Então, não posso descer a mina com vestido branco? - Pode, minha senhora, pois não, respondeu velho. Não há nada que impeça que desça vestida de branco, mas há muita coisa que a possa impedir de voltar de lá com vestido branco!
Muitas vezes as pessoas se concentram no posso ou não posso. Seria mais sábio pensar mais adiante. Deveríamos pensar nas consequências de nossos atos. Poder nós podemos muitas coisas. Mas o que eu vou ganhar com isso? Ou pior, o que eu vou perder com isso?
No que se refere a coisas sujas, a ilustração é bem clara e verdadeira. Não existe a possibilidade de alguém nadar na lama sem se manchar. Quem busca o que é errado vai acabar tendo problemas por isso. Quem vai para escuridão, terá cada vez mais dificuldade de enxergar. 
Nossos caminhos precisam ser os melhores possíveis, sem atalhos perigosos, sem caminhos incertos e escuros. Paulo disse: “Não se deixem enganar: de Deus não se zomba. Pois o que o homem semear, isso também colherá. Quem semeia para a sua carne, da carne colherá destruição; mas quem semeia para o Espírito, do Espírito colherá a vida eterna (Gl 6.7-8). 
Pensemos sempre nas consequências de nossas ações. As recomendações de Lucas para que o nosso coração não fique sobrecarregado com estas coisas ruins são: Tenham cuidado, estejam sempre atentos e orem. “Vigiai, pois, a todo tempo, orando, para que possais escapar de todas estas coisas que têm de suceder e estar em pé na presença do Filho do Homem” (RA - Lc 21.36). Quanto mais agimos sem pensar nas consequências de nossos atos, mais nos mostramos ignorantes. Passamos a ouvir a tolice de nosso coração e praticamos o que nos afasta cada vez mais da verdade.

E não nos cansemos de fazer o bem.