quinta-feira, 19 de abril de 2018

Desejo perigoso

Jonas 1.1-4

Senhor, Deus de Israel, não há Deus como tu nos céus e na terra! Tu que guardas a tua aliança de amor com os teus servos que, de todo o coração, andam segundo a tua vontade (2 Cr 6.14).

No livro Moby Dick do americano Herman Mellville (1851), o Rev. Mapple prega na Capela dos Baleeiros um sermão baseado em Jonas, e afirma que teremos de desobedecer nossos próprios desejos se quisermos aprender a obedecer a Deus. O capitão do navio Pequop não desobedeceu ao seu único desejo de matar a grande baleia branca e isso levou ele e sua tripulação à morte, como relatou o único sobrevivente. Seguir os desejos do coração é um caminho que leva ao descontrole da ambição. Esta busca pela vontade própria é o caminho da queda e destruição. Nossa maior ambição deve ser realizar a vontade de Deus. 
No livro de Jonas, podemos ver que, por não ter obedecido ao chamado de Deus, Jonas quase morreu. Deus disse para ele ir à cidade de Nínive anunciar uma mensagem, mas em seu coração Jonas se dispôs a fugir da presença do Senhor e pegou um navio para Tarsis. Como não é possível fugir de Deus, a história conta que Deus lançou um vento forte sobre o mar e o navio estava prestes a despedaçar. O vento só parou quando Jonas foi lançado ao mar. 
Precisamos tomar cuidado com nossos desejos quando eles desprezam ou resistem ao que aprendemos de Deus. É preciso ouvir a voz de Deus mais do que a voz de nossa vontade. Quando Jonas foi jogado no mar, Deus deu a ele uma oportunidade de arrependimento. Deus enviou um peixe que engoliu Jonas. No ventre do peixe, Jonas orou e assumiu o compromisso de cumprir a vontade de Deus, que então fez com que o peixe vomitasse Jonas. 
Quando reconhecemos que nosso caminho está errado e buscamos o perdão, Deus nos dá uma nova oportunidade e nos livra do pior. Na vida só existem dois caminhos: ou obedecemos os nossos próprios desejos, como fez o capitão do navio no livro Moby Dick, ou nos sujeitamos à vontade de Deus. 


Buscar obedecer a Deus é ir em direção da misericórdia.