domingo, 15 de abril de 2018

Expectativa correta

Malaquias 4.1-6

Que o amor e a fidelidade jamais o abandonem; prenda-os ao redor do seu pescoço, escreva-os na tábua do seu coração (Pv 3.3).

Li certa vez no livro “Pensamentos para horas tranquilas” de D. L. Moody o seguinte: “Se você perceber que está começando a amar qualquer prazer mais que suas orações, qualquer livro mais que sua Bíblia, qualquer casa mais que a de Deus, qualquer mesa mais que a do Senhor, alguma concessão terrena mais que a esperança do céu, cuidado!” (Guthrie).
A finalidade de nossas vidas deve ser estar com Cristo. Para isso, buscamos viver o que ele nos ensinou. A nossa expectativa deve se concentrar no final. Quem somos é definido pelo que esperamos. A nossa santidade está relacionada com a expectativa que temos da vinda de Jesus. 
Em Malaquias, encontramos uma forte exortação - a lembrança de que o dia do julgamento está por vir. “Pois certamente vem o dia, ardente como uma fornalha. Todos os arrogantes e todos os malfeitores serão como palha, e aquele dia, que está chegando, ateará fogo neles, diz o Senhor dos Exércitos. Não sobrará raiz ou galho algum” (Ml 4.1). Esta lembrança não é para nos amedrontar, mas para nos lembrar que a vida não pode se resumir nas buscas diárias sem as buscas eternas. O cuidado não pode ser do corpo sem ser da alma. Nosso pensamento não pode ficar apenas na terra, mas principalmente no céu. 
Malaquias não se limita em falar sobre o juízo divino, ele também fala das promessas de Deus. Para os que temem o dia final, será de alegria e salvação. “Para vocês que me temem, a minha salvação brilhará como o sol, trazendo vida nos seus raios. Vocês saltarão de alegria, como bezerros que saem saltando do curral” (v. 2). 
Que a cada dia possamos meditar e lembrar de praticar os mandamentos e ensinamentos que Deus nos deu. Que possamos buscar a paz e a alegria na presença de Deus. Que possamos viver em paz com nossos familiares, com nosso próximo e com Deus. 

Expectativa correta gera dedicação certa.