quinta-feira, 17 de maio de 2018

Generosidade não basta

Mateus 6.1-4

Pois preferiam a aprovação dos homens do que a aprovação de Deus (Jo 12.43).

É esperado de todos nós que sejamos generosos para com as pessoas necessitadas. Mas só generosidade não basta. John Stott diz: “A questão não é tanto sobre o que a mão está fazendo, mas o que o coração está pensando quando a mão age”. A busca por elogios pode nos distrair do verdadeiro propósito em ajudar uma pessoa. 
Jesus descreve um fariseu pomposo a caminho do templo ou da sinagoga, onde vai depositar o seu dinheiro numa caixa especial, ou indo levar uma esmola aos pobres. Na frente, marcham os tocadores de trombeta, rapidamente atraindo a multidão. 
“Eles davam a entender, sem dúvida, que era para chamar a atenção dos pobres, pois desculpas nunca faltam; mas era perfeitamente óbvio que buscavam os aplausos e os elogios” (Calvino). 
Ignore a tua esquerda -  Não só não devemos contar a outras pessoas sobre a nossa contribuição, mas, num certo sentido, não devemos sequer contar a nós mesmos, meditando no coração o quanto nós somos bonzinhos.
O Pai em secreto te recompensará - “Qual é a recompensa que o Pai celeste dá àquele que faz a sua dádiva em secreto? Não é pública nem necessariamente futura. Provavelmente a única recompensa que o verdadeiro amor deseja quando dá ao necessitado é ver o alívio deste. Quando, por meio de suas dádivas, o faminto é alimentado, o nu é vestido, o doente é curado, o oprimido é libertado e o perdido é salvo, o amor que provocou a dádiva fica satisfeito. Esse amor (que é o próprio amor de Deus expresso através do homem) traz consigo as suas próprias alegrias secretas e não espera outra recompensa” (John Stott). 
Portanto, tenhamos cuidado, pois até mesmo quando desejamos fazer o bem podemos rapidamente desviar nossa atenção tornando o bem em mal. Sejamos generosos, e que a nossa generosidade tenha como propósito exclusivo o bem do nosso próximo e assim agradar a Deus. 

A aprovação de Deus é mais importante do que os elogios dos homens.