quarta-feira, 16 de maio de 2018

Resultado das escolhas

Isaías 57.14-21

Hoje invoco os céus e a terra como testemunhas contra vocês, de que coloquei diante de vocês a vida e a morte, a bênção e a maldição. Agora escolham a vida, para que vocês e os seus filhos vivam (Dt 30.19).

João Wesley, homem de físico franzino (altura de apenas um metro e sessenta e seis centímetros e pesando menos de sessenta quilos), ao completar 88 anos atribuiu a sua saúde às seguintes regras: 1) Ao exercício constante e ar fresco. 2) Ao fato de nunca, mesmo doente ou com saúde, em terra ou no mar, haver perdido uma noite de sono desde o seu nascimento. 3) À habilidade de dormir, de dia ou de noite, ao sentir-se cansado. 4) Ao fato de observar a regra por mais de sessenta anos de se levantar às 4 horas da manhã. 5) Ao costume de sempre orar às 5 da manhã, durante mais de cinquenta anos (Passava duas horas diariamente em oração, e muitas vezes mais. Considerava a oração a coisa mais importante da sua vida). 6) Ao fato de quase nunca sofrer de dor, desânimo ou cuidado durante a vida inteira. 
Albert Camus disse que a vida é a soma de suas escolhas. Muito do que está acontecendo hoje na sua vida é resultado das escolhas que você fez. As escolhas que você fizer hoje irão resultar no que irá acontecer amanhã. É vontade de Deus que cada um de nós faça escolhas com responsabilidade. Podemos escolher a melhor forma de cuidar de nossa piedade, da nossa carreira, nossa família, nossa saúde, como gastar o nosso dinheiro, etc. Nem sempre conseguiremos escolher o melhor, mas é preciso acertar mais. Não somos obrigados a praticar o mal. Pelo contrário, Deus nos liberta do mal e nos fortalece para andarmos na sua luz. Sempre estarão diante de nós as escolhas certas. É preciso escolher o certo mesmo que pareça tomar uma decisão que exija maior esforço de nossa parte. Sobre as decisões erradas do passado, agora só nos resta admitir nosso erro, confessar nossos pecados e seguir no caminho correto. Para estes a promessa de Deus é: “Tenho visto os seus caminhos e o sararei” (Is 57.18). 


Diante de tantas opções, devemos escolher as melhores coisas.