segunda-feira, 4 de junho de 2018

A fraude do pecado

Salmo 51.10-13

Ouve dos céus e perdoa o pecado dos teus servos, de Israel, teu povo. Ensina-lhes o caminho certo e envia chuva sobre a tua terra, que deste por herança ao teu povo (1Rs 8.36).

Ninguém gosta de ser enganado. Mas facilmente deixamos nos enganar pelo pecado. O Rev. Hernandes Dias Lopes disse o seguinte sobre isso: “O pecado é uma fraude. Promete prazer e paga com o desgosto. Faz propaganda de liberdade, mas escraviza. Levanta a bandeira da vida, mas seu salário é a morte. Tem um aroma sedutor, mas ao fim cheira a enxofre. Só os loucos zombam do pecado. O pecado é maligníssimo. Ele é pior do que a pobreza, do que a solidão, do que a doença. Enfim, o pecado é pior do que a própria morte. Esses males todos não podem destruir sua alma nem afastar você de Deus, mas o pecado arruína seu corpo, sua alma e afasta você eternamente de Deus”.
Deus disse a Caim: “saiba que o pecado o ameaça à porta; ele deseja conquistá-lo, mas você deve dominá-lo” (Gn 4.7). Precisamos estar atentos. No lugar de dar brechas, facilitar o acesso do inimigo, devemos nos preparar, lutar e não nos deixar enganar. David Wilkerson definiu pecado da seguinte forma: “Pecado é a recusa de se viver sabiamente ou de ajustar a vida às verdades da Palavra de Deus. Pecado não é apenas fraqueza, mas um estado de rebelião. Você peca não porque não tenha compreensão das coisas, mas porque se recusa a reconhecer suas nítidas obrigações para com Deus e com os homens”.
Devemos buscar a Deus e como o salmista orar: “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece as minhas inquietações. Vê se em minha conduta algo te ofende, e dirige-me pelo caminho eterno” (Sl 139.23-24). Podemos orar, confessar nossos pecados confiados nas promessas de perdão de Deus. Ele pode nos lavar e nos guiar em um novo caminho. Não é preciso viver enganado, carregando o pesado fardo do pecado. A vida pode ser vivida de forma mais leve. Jesus morreu na cruz para nos livrar do peso do pecado. 

Cuidado com o engano do pecado!