sábado, 30 de junho de 2018

Amole o machado

Salmo 18.30-35

Ensina-nos a contar os nossos dias para que o nosso coração alcance sabedoria (Sl 90.12).

Um caçador saiu para o seu dia de lazer e, ao entrar na floresta, encontrou um forte lenhador que tentava derrubar uma árvore. Ele passou o dia todo caçando e, ao retomar para seu hotel, passou novamente pelo lenhador que ainda continuava tentando derrubar a mesma árvore. O caçador percebeu que o machado utilizado pelo lenhador não estava afiado. Disse então: Por que você não afia este machado? E o lenhador respondeu: - Não posso. Eu não tenho tempo.
Muitas pessoas reclamam da falta de tempo, mas trabalham e usam seu tempo de forma desorganizada. Desperdiçam tempo por falta de ter um planejamento. Muitas pessoas gastam tempo com trabalhos que não vão surtir efeito. Devemos amolar o machado, planejar antes de agir, ver corretamente o que é prioridade, que deve ser realizado primeiro e quanto tempo posso ocupar em cada atividade. Existe um pensamento que diz: “Se eu tivesse oito horas para derrubar uma árvore, eu passaria seis horas afiando o machado”.
A melhor estratégia pode ser mais importante que muita força ou disposição. Ouvimos falar muito que devemos nos esforçar e trabalhar, mas não podemos esquecer que antes do trabalho devemos saber o que fazer e como fazer. Você pode acordar cedo e com um rodo gigante tentar secar a areia da praia, mas o mar sempre vai jogar água novamente no mesmo lugar. A falta de tempo é na verdade, na maioria das vezes, falta de organização. 
Mas lembre-se sempre que maior que as nossas estratégias é a vontade e o caminho de Deus para a nossa vida. Amolar o machado é muito mais que ser muito organizado ou sábio. Amolar o machado é ter tempo para a oração, leitura e meditação nas Escrituras. Não existe pessoa melhor do que Deus para nos ensinar remir o tempo. O caminho de Deus é perfeito. O autor da vida nos ensinará a contar os nossos dias e a vivermos de forma realmente sábia. 

Deus torna ágeis os nossos pés e nos sustenta.