sexta-feira, 27 de julho de 2018

Benefício da oposição

Tito 1.7-9

Pensem bem naquele que suportou tal oposição dos pecadores contra si
mesmo, para que vocês não se cansem nem desanimem (Hb 12.3).

Não gostamos de que ninguém venha contradizer o que falamos. De certa forma, achamos que aqueles que não concordam conosco são nossos inimigos. Mas devíamos reconsiderar isso, pois, muitas vezes, aqueles que apontam nossos erros são mais importantes do que os que só nos elogiam. Veja como esta ilustração nos ensina sobre este assunto: Certo líder era adorado por sua comunidade. Todos ficavam encantados com o que dizia. Menos um homem, que não perdia uma chance de contradizer as interpretações do mestre e apontar falhas em seus ensinamentos. Os outros ficavam revoltados com o tal homem, mas não podiam fazer nada. Um dia, esse homem morreu. Durante o enterro, a comunidade notou que o seu líder estava profundamente triste. - Por que tanta tristeza? -
comentou alguém. - Ele vivia colocando defeito em tudo o que o senhor dizia! - Não lamento pela pessoa dele, que já deve estar no céu - respondeu o mestre. - Lamento por mim mesmo. Enquanto todos me reverenciavam e procuravam não discordar de mim, ele era o único que
me desafiava, e eu era obrigado a melhorar. Agora que ele se foi, tenho medo de parar de crescer.
Tito diz que quem é líder, pastor e também quem exerce qualquer cargo de liderança deve se esforçar para ser o mais excelente no que faz. Ele usa as palavras “seja irrepreensível”. Irrepreensível é “o que não merece censura; que não pode ser repreendido” (Dicionário KLS). Isso quer dizer que no lugar de temermos quem nos contradiz, devemos buscar ter uma conduta irrepreensível. Tito diz que devemos ser apegados “à palavra fiel”. Desta maneira estaremos preparados “para exortar pelo reto ensino
como para convencer os que o contradizem”. Por isso devemos até agradecer os que algumas vezes chamam a nossa atenção para alguns de nossos erros. Estes são os que nos mantêm
alertas, que nos tiram da acomodação.

A oposição nos lembra da necessidade de crescer ainda mais.