sábado, 4 de agosto de 2018

Nossa oração

Mateus 6.7-10

Contudo, quem se gloriar, glorie-se no Senhor (2Co 10.17).

Nossas orações não devem ser meras repetições. Elas devem glorificar a Deus e também conter pedidos pessoais. Lutero disse: “Os crentes não oram com intenção de informar a Deus sobre coisas que ele desconheça, ou para incitá-lo a cumprir o seu dever, ou para apressá-lo, como se ele fosse relutante. Pelo contrário, oram para que assim possam despertar-se e buscá-lo, e assim exercitem sua fé na meditação das promessas de Deus, e aliviem suas ansiedades, deixando-as nas mãos dele.” 
Os três primeiros pedidos na oração do Pai Nosso expressam a nossa preocupação com a glória de Deus em relação ao seu nome, ao seu governo e à sua vontade. É assim que devemos orar.
Santificado seja o seu nome: “O nome representa a pessoa que o usa, o seu caráter e a sua atividade. O nome de Deus já é “santo”, porque é separado e exaltado acima de qualquer outro nome. Mas nós oramos que ele seja santificado, “tratado como santo”, porque desejamos ardentemente que a devida honra lhe seja dada” (John Stott). Quando oramos assim expressamos nosso desejo de que a glória e honra devidas ao seu Santo Nome sejam dadas. 
Venha o teu reino: “Orar que o seu reino “venha” é orar para que ele cresça à medida que as pessoas se submetam a Jesus através do testemunho da Igreja, e que logo ele seja consumado com a volta de Jesus em glória para assumir o seu poder e o seu reino” (John Stott). Em nossa oração devemos pedir que Deus reine em nosso coração. Governe nossas decisões, dirija a nossa vida no caminho para o reino eterno.  
Seja feita a sua vontade: “A vontade de Deus é “boa, agradável e perfeita” (Rm 12.2). Resistir-lhe é loucura; e discerni-la, desejá-la e fazê-la é sábio. Jesus nos incita a orar para que a vida na terra se aproxime o mais possível da vida no céu” (John Stott). Devemos pedir que a cada dia nossa vontade esteja mais próxima da vontade de Deus, que nossos maus desejos sejam ofuscados e prevaleça a boa vontade de Deus.  


Deus é glorioso, governa sobre todos, perfeita é sua vontade.