domingo, 30 de setembro de 2018

Deixe a raiva secar

Provérbios 15.1-4

Evite a ira e rejeite a fúria; não se irrite: isso só leva ao mal (Sl 37.8).

Certa vez uma menina ganhou um brinquedo no dia do seu aniversário. Na manhã seguinte, uma amiguinha foi até sua casa lhe fazer companhia e brincar com ela. Mas a menina não podia ficar com a amiga, pois tinha que sair com a mãe. A amiga então pediu que a menina a deixasse ficar brincando com seu brinquedo novo. Ela não gostou muito da ideia, mas, por insistência da mãe, acabou concordando.
Quando retornou para casa, a amiguinha já não estava mais lá: tinha deixado o brinquedo fora da caixa, todo espalhado e quebrado. Ela ficou muito brava e queria ir até a casa da amiga para brigar com ela. Mas a mãe ponderou:
— Você se lembra daquela vez que um carro jogou lama no seu sapato? Ao chegar em casa você queria limpar imediatamente aquela sujeira, mas sua avó não deixou. Ela falou que você devia primeiro deixar o barro secar. Depois, ficaria mais fácil limpar. Com a raiva é a mesma coisa. Deixe a raiva secar primeiro, depois fica bem mais fácil resolver tudo.
Mais tarde, a campainha tocou: era a amiga trazendo um brinquedo novo. Disse que não tinha sido culpa dela, e sim de um menino invejoso que, por maldade, havia quebrado o brinquedo quando ela brincava com ele no jardim. E a menina respondeu:
— Não faz mal, minha raiva já secou!
Não é muito lembrar sobre a necessidade de não agir precipitadamente. Ser grosseiro, discutir, argumentar na hora da raiva é um grande mal. Sempre iremos além do ponto se fizermos isso. É preciso deixar a raiva secar. Espere o tempo necessário. Às vezes nem é preciso esperar muito. Alguns minutos depois de um conflito pode ser que já estamos prontos para conversar, aparar as arestas, desfazer um mal entendido. Manifestação de ira, divisões, intrigas são atitudes de pessoas arrogantes e invejosas. O cristão deve ser humilde, paciente, resolvendo os problemas com mansidão. 

As palavras bondosas animam a vida.