quarta-feira, 24 de outubro de 2018

Muitos tombos

Salmo 37.23-24

Ainda que tropece, não cairá, pois o Senhor o toma pela mão (Sl 37.24).

Aprender com os tombos da vida é uma experiência de todos nós. Qualquer coisa que você tente fazer, será preciso tomar muitos tombos antes. Como aprender a patinar sem cair nenhuma vez? Como cantar uma música sem antes errar uma nota? O parto da girafa é um exemplo interessante disso. Ele é feito com a girafa em pé, de modo que a primeira coisa que acontece ao recém-nascido é uma queda de aproximadamente dois metros de altura. Ainda tonto, o animal novinho tenta firmar-se nas quatro patas, mas a mãe tem um comportamento estranho: ela dá um leve chute e a girafa-filhote cai de novo no chão. Tenta levantar-se e é de novo derrubada. O processo se repete várias vezes, até que o recém-nascido, exausto, já não consegue ficar em pé. Nesse momento, a mãe novamente o instiga com a pata, forçando-o a levantar-se. E já não o derruba mais. A partir daí, ele se levanta sozinho, com forças, e consegue ficar firme de pé. A explicação é simples: para sobreviver aos animais predadores, a primeira lição que a girafa deve aprender é levantar-se rápido para fugir dos inimigos. Portanto, a aparente crueldade da mãe-girafa tem a importante função de treinar o filhote para que não seja devorado pelos outros animais selvagens. Esse aprendizado vai ser fundamental para a própria sobrevivência da espécie.
É preciso encarar os tombos da vida como aprendizado. Os obstáculos podem ser desanimadores, mas com a ajuda de Deus podemos vencê-los. O Salmo 37 nos diz que: “O SENHOR firma os passos do homem bom e no seu caminho se compraz; se cair, não ficará prostrado, porque o SENHOR o segura pela mão” (v. 23 e 24). A Bíblia NVI traduz o v. 24 dizendo que ainda que venhamos a tropeçar, não vamos cair, pois Deus estende a sua mão para nós. Deus a todo tempo está nos sustentando, mas principalmente no momento em que não encontramos mais forças para levantar, Ele estende para nós a sua mão. 

Deus nos quer de pé. A única forma de vencer é persistindo.