quinta-feira, 25 de outubro de 2018

Nas mãos do mestre

Romanos 11.33-36

Que este Deus é o nosso Deus para todo o sempre; ele será o nosso guia até o fim (Sl 48.14).

Estava maltratado e amassado, e o leiloeiro pensou que quase nem valia a pena perder tanto tempo com o velho violino, porém, segurou-o com um sorriso. Quanto me oferecem, meus amigos? - falou - Quem dará o primeiro lance? Um dólar, um dólar, e então, dois! Apenas dois? Dois dólares, e quem oferecerá três? Três dólares, dou-lhe uma; três dólares, dou-lhe duas; dou-lhe três... Mas, não… 
Do salão, lá no fundo, um homem grisalho veio à frente e tomou do arco. Então, tirando a poeira do velho violino, e afinando as cordas frouxas, tocou uma doce e pura melodia como canta um anjo que gorjeia. Cessa a música, e o leiloeiro, em voz suave e calma, diz: O que me oferecem pelo velho violino? E segura-o no alto juntamente com o arco. - Mil dólares, e quem oferecerá dois? Dois mil! Alguém dá três? Três mil, dou-lhe uma; três mil, dou-lhe duas; dou-lhe três, vendido, diz ele. 
A pessoas aplaudem, mas algumas gritam. Não compreendemos nada. O que alterou seu valor? A resposta vem imediata: O toque da mão de um mestre (Uma história de Myra B. Welch).
Que ilustração interessante. É exatamente isso que acontece com cada um de nós. Somente nas mãos do mestre nossa vida tem valor. Muitos não atentam para isso. Vivem no limite da esperança. Vivem de forma desacreditada. Sua vida é um vazio. Uma vida fora do tom. Pessoas que se tornam instrumentos de coisas más, são como o velho violino que foi desprezado inicialmente pelo leiloeiro. Mas Deus não esqueceu de nós. Ele não desiste dos seus filhos. O Senhor se aproxima de nós. Ele nos limpa, afina nossas cordas frouxas. Pelo seu poder, Deus faz soar lindas canções através de nossa vida. Acredite! Grandes mudanças podem acontecer. Somos propriedade de Deus e ele pode nos usar de uma forma extraordinária. “Pois dele, por ele e para ele são todas as coisas. A ele seja a glória para sempre! Amém” (Romanos 11.36).

Nosso valor vem da mudança operada pelo toque de Jesus.