sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Não te é oculto


Salmos 5.1-3 

De manhã ouves, Senhor, o meu clamor; de manhã te apresento a minha oração e aguardo com esperança (Sl 5.3).

Susannah Spurgeon conta que estava doente já por algum tempo. Um dia acordou angustiada e com extrema dor no corpo. Não conseguia orar nem pensar. “Gemidos e lágrimas eram as únicas manifestações que podia conceder ao meu sofrimento”. Nesta hora, o que a confortou foram as palavras do Salmo 38.9 que diz: “Senhor, diante de ti estão todos os meus anseios; o meu suspiro não te é oculto”. Ela percebeu que não estava sozinha ou desamparada. 
“Seu Deus conhece tudo sobre você! Vê sua dor, escuta seus gemidos! Existe um telefone nos seus lábios que o conecta com o coração do Senhor, e cada suspiro é gravado! Nenhuma escuridão, nenhuma distância, nenhum sofrimento pode separá-lo do constante cuidado do seu Deus”. 
O sofrimento é algo misterioso. Ele invade nossa vida de forma estranha. Somos tomados por dor, medo e insegurança. Mas tão misterioso quanto a dor do sofrimento é o alivio de Deus sobre ele. No momento em que pensamos que não vamos mais suportar, Deus vem sobre nós com seu consolo. A dor e o sofrimento vem acompanhados pelo amor e compaixão de Deus e pela disciplina de seus ensinamentos. Quem espera com paciência no Senhor, vê com alegria o momento que ele se inclina para ajudar. Quem logo pela manhã apresenta a Deus o seu clamor e aguarda com esperança, vê a consideração de Deus ao seu gemer. 
Passar por grandes adversidades é experimentar o que existe de pior na dor, mas também é conhecer o grande consolo de Deus e desfrutar de forma intensa da sua presença. 
Paulo, que passou por muitos sofrimentos, só tinha em seu coração gratidão a Deus. Em 2Coríntios 1.3 disse: “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, Pai das misericórdias e Deus de toda consolação”. 
Que o Deus portador de toda consolação seja sobre a sua e a minha vida no momento de maior dor, quando nossas forças secarem e o gemer seja nossa linguagem, que possamos lembrar que este gemido não está oculto de Deus. 

Feliz é aquele que deposita em Deus a sua confiança.