domingo, 10 de fevereiro de 2019

Cajado eficiente


Leitura Bíblica: Marcos 12.28-34

A vida é mais importante do que a comida, e o corpo, mais do que as roupas (Lc 12.23).

Conta-se que uma vez um príncipe foi à Suíça para subir pelas montanhas cobertas de gelo. Estas montanhas têm cumes excessivamente íngremes. Há escarpas tão lisas que o viajante é bem capaz de cair se não fincar o ferrão do seu cajado bem fundo no gelo. E há, às vezes, fendas que só podem ser atravessadas por meio de saltos bem longos com o auxílio do bordão, e um salto mal dado ou que não atinja a outra margem, significa a morte do viajante. O príncipe queria um bordão. Como ele era príncipe trouxeram-lhe os cajados mais luxuosos. O primeiro era lindo, com o cabo engastado de ouro. O príncipe olhou o bordão e deixou-o de lado. “Vocês podem ver”, disse ele, “o defeito desse bordão, onde o engaste dourado se liga à madeira. Não me serve.” Trouxeram-lhe outro cajado – este era entalhado com flores e frutos, maravilhosamente trabalhado. Mas o moço examinou-o e colocou-o ao lado do outro, dizendo que tal bengala havia de quebrar-se com muito pouco peso. Virou-se então, e escolheu para si mesmo um cajado simples, mas forte, sem ornamento, sem escultura sem o ouro, mas de um metal resistente, e sem defeito, que suportaria o peso de um homem durante um perigo qualquer. “Este me serve”, disse o príncipe – fará o que um bordão deve fazer. 
Muitos se preocupam com a aparência e com a etiqueta. A preocupação é mais estética do que funcional. Uma pergunta sensata que sempre devemos fazer antes de qualquer ação é: O que é mais importante? 
Quando um mestre da lei perguntou a Jesus qual era o mandamento mais importante, Jesus respondeu: “Ame o Senhor, o seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma, de todo o seu entendimento e de todas as suas forças. Ame o seu próximo como a si mesmo. Não existe mandamento maior do que estes” (Mt 22.37-39). Ficou claro na resposta de Jesus que mais do que qualquer sacrifício e oferta, o mais importante e essencial é a presença do amor. 

O cajado do amor traz segurança à caminhada.