sexta-feira, 15 de março de 2019

Amor ativo


Leitura Bíblica: Lucas 6.27-36

Quem não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor (1Jo 4.8).

Jesus disse que devemos amar nossos inimigos. Fazer o bem a quem não quer o nosso bem. Abençoar e orar por quem nos maltrata. Jesus chega a dizer que se alguém nos bater em uma das faces devemos oferecer a outra. 
O verdadeiro amor não é agradar quem nos agrada, fazer o bem a quem gosta de nós, emprestar coisas somente para quem sabemos que irão nos devolver. Nosso referencial, diz o texto, deve ser o próprio Deus que é bondoso para com os ingratos e maus: “Sejam misericordiosos, assim como o Pai de vocês é misericordioso” (Lc 6.36).
Isso que acabamos de ler vai na contra mão do que o mundo diz todo dia. Vemos pessoas compartilhar nas redes sociais frases como: “Vou gostar de quem gosta de mim”, “Não vou perder tempo com quem não me acrescenta nada”. Isso para não citar frases mais fortes e apimentadas. E é ainda pior quando muitas destas pessoas se dizem cristãs. Se realmente são cristãs, talvez na hora da muita raiva se pronunciaram precipitadamente. Pois quem realmente pensa assim, quem não trata o próximo com amor, diz 1Jo 4.8 que esse alguém não conhece a Deus. Deus é amor, Deus é misericórdia, conhecer a Deus é ser amado por ele e amar a seu próximo. 
“Amor não é aquilo que se destina aos melhores. Amor não cresce na medida em que cresce o objeto amado. Ao contrário, quanto maior é o amor, tanto menor é o objeto ao qual ele se dirige. Maior é o amor quanto mais destituídas de virtudes são as pessoas as quais ele se direciona. Maior é o amor, se consegue amar os não amados, se consegue querer os não queridos, se consegue viver com pessoas impossíveis de se conviver” (Autor desconhecido). Nós devemos imitar a Deus e a Jesus, e não aos homens. A cultura não cristã é a da vingança, da retribuição, nós devemos ir muito além disso. Além de recusar a retribuir o mal com o mal, devemos vencer o mal com o bem. Devemos orar como Jesus orou: “Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que estão fazendo” (Lc 23.34a). 

A maturidade é demonstrada por atos de amor.