sábado, 2 de março de 2019

Tempo de angústia


Leitura Bíblica: Salmo 118.5-8

E clame a mim no dia da angústia; eu o livrarei, e você me honrará (Sl 50.15).

Quando o pastor sul-africano Andrew Murray visitava a Inglaterra em 1895, ele começou a sofrer a dor de uma antiga lesão nas costas. Enquanto se recuperava, sua anfitriã lhe falou de uma mulher que estava em grande dificuldade e queria saber se ele tinha algum conselho para ela. Murray lhe disse: “Dê-lhe este papel que tenho escrito para o meu próprio encorajamento. Talvez ela o considere útil.” Isso foi o que Murray escreveu:
“Em tempo de angústia, diga: Primeiro - Deus me trouxe aqui. É por Sua vontade que estou assim. Nisso descansarei. A seguir - Ele me guardará em Seu amor e me dará graça nesta provação para eu agir como Seu filho. Depois - Ele fará desta provação uma bênção, ensinando-me o que desejar que eu aprenda, e operando em mim a graça que ele pretende conceder. E por último - No seu tempo perfeito, ele pode me restaurar - como e quando, ele sabe. Estou aqui - por determinação de Deus, guardado por ele, sob a Sua instrução, durante o Seu tempo. Queremos a solução imediata, a correção rápida, mas algumas coisas não podem ser eliminadas tão facilmente; elas só podem ser aceitas. Deus nos guardará em Seu amor. Por Sua graça, podemos descansar nele. Quando Deus permite o sofrimento, ele também proporciona o conforto” (David H. Roper).
“Nosso futuro já está garantido, não há razão para temer o tempo presente” (Renato Duarte). O Salmo 31.15 diz: “O meu futuro está nas tuas mãos; livra-me dos meus inimigos e daqueles que me perseguem”. Como Davi, devemos ter a convicção de que nosso futuro e também nosso presente estão nas mãos de Deus. E que: “Nem altura nem profundidade, nem qualquer outra coisa na criação será capaz de nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Rm 8.39). 
No tempo da angústia invoque ao Senhor, é certo que ele providenciará o livramento. Deus é poderoso para transformar desertos em jardins regados. 

O Senhor é um refúgio em tempos de angústia.