segunda-feira, 26 de agosto de 2019

Faces da imaginação


Leitura Bíblica: Hebreus 3.1-6

Deus é espírito, e é necessário que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade (Jo 4.24).

Os pensamentos fazem parte da realidade ou eles devem ser categorizados como parte de um mundo virtual? Acredito que os pensamentos são bem reais, fazem parte de nossa vida. Por mais que nossa imaginação venha a divagar por mundos imaginários, nossos pensamentos são parte importante da nossa vida. É verdade que os pensamentos podem nos levar à inferioridade, timidez e ao medo. Podem transformar a realidade, distorcer nossa visão sobre muitas coisas e pessoas. Mas, ao mesmo tempo, os nossos pensamentos de forma positiva nos elevam e nos encorajam. E é através do nosso pensamento que adoramos a Deus. E é claro que nossa adoração é real e não virtual. Sobre isso li um excelente texto de Paul David Tripp sobre a beleza da imaginação que diz: “Uma das coisas que nos separam do resto da criação é a nossa capacidade de imaginar. Deus nos deu espírito, a fim de nos comunicarmos com ele e para fazer aquilo que fomos criados para fazer. Uma das funções primárias do espírito, o homem interior, é a habilidade de imaginar, de ‘ver’ a Deus. Deus nos deu a habilidade de ‘ver’ o que não podemos ver, de nos comunicar com alguém com quem não podemos conversar pessoalmente e de amar aquele a quem não podemos tocar. Somos criaturas de imaginação. Nós não damos glória a Deus por meio da nossa existência, como as pedras, a flor ou os peixes. Nós podemos ‘ver’ e nos comunicar com o próprio Deus”.
Portanto, embora os pensamentos possam divagar para o mundo virtual e consigam embaçar a realidade, eles são reais, feitos para nos relacionarmos com Deus. A imaginação são olhos que nos fazem enxergar o invisível, luz que gera vida aos nossos sonhos e importante habilidade de nos fazer crer no que ainda não chegou, experimentar antecipadamente o futuro e também desfrutar por muitas vezes o que já passou. Que tenhamos uma excelente imaginação. Desfrutemos de pensamentos dignos. 

Vivamos na realidade, ainda que seja invisível.