quinta-feira, 12 de setembro de 2019

O perigo da inveja


Leitura Bíblica: Salmo 73.21-28

O coração em paz dá vida ao corpo, mas a inveja apodrece os ossos (Pv 14.30).

A inveja nasce da falta de sabedoria de lidarmos com os nossos problemas e dificuldades. Começamos a olhar para a nossa vida inconformados com o que está acontecendo e logo pensamos que não merecíamos passar por aquela dificuldade. Daí olhamos para quem está próximo de nós acreditando que as coisas boas que ele está vivendo poderiam ser nossas. Assim a inveja nos faz enxergar o sucesso dos outros e por isso ficamos desapontados. Questionamos: Como Deus pode abençoar as outras pessoas e não a mim? 
“A inveja é mais do que a tristeza frente aos sonhos não realizados. Não é somente o estar irado porque não tenho alguma coisa, mas estar irado porque outra pessoa tem. É um desejo de que Deus tire aquilo que ele deu a outro e devolva a quem pertence de direito. A inveja rouba a minha habilidade de amar o meu próximo, tornando-o um competidor, na melhor das hipóteses, e um ladrão, na pior, porque ele possui coisas que eu estou convencido que, por direito, deveriam ser minhas. Eu não posso celebrar com ele. Eu não compartilho da alegria dele. A minha inveja não deseja o bem do meu próximo, mas, em vez disso, deseja que ele se dê mal” (Paul David Tripp). 
Que Deus nos livre de cair nesta armadilha de autocomiseração. Que Deus nos afaste do pecado da inveja, do engano de estarmos decepcionados com ele, de rompermos nossa adoração, parando de demostrar gratidão. De invejar o nosso próximo, querendo o seu mal. Sempre estejamos certos de que Deus conhece todas as coisas. Dá a quem quer e retira de quem quiser. Suas ações são sempre justas e corretas. Deus não falha, ele é o pai que sabe dar boas dádivas aos seus filhos. Nos momentos mais difíceis, no lugar da inveja, que nasça em nós o contentamento. Que estejamos sempre prontos a adorar a Deus e amar o nosso próximo, desejando o bem a ele. Somos filhos da luz, que as trevas da inveja se dissipem e se afastem de nós.

A inveja é a falência do amor.