sábado, 12 de outubro de 2019

Apolo


Leitura Bíblica: Atos 18.24-28

Eu plantei, Apolo regou, mas Deus é quem fez crescer (1Co 3.6).

Paulo saiu de Éfeso e Apolo chega em Éfeso. Priscila e Áquila estavam em Éfeso e são surpreendidos vendo alguém falando com tanta inteligência e intrepidez a respeito da Palavra de Deus. 
Jonh Stott diz que Lucas nos conta três fatos interessantes a respeito de Apolo. Primeiro, ele era um homem instruído e poderoso nas Escrituras (v. 24b). Segundo, era ele eloquente. Falava com grande fervor, combinando assim a erudição com entusiasmo. Em terceiro lugar, porém, conhecia apenas o batismo de João. “Esse homem cheio de entusiasmo proclamava um evangelho incompleto. Sua mensagem só chegava até João Batista. Não sabia coisa alguma acerca do Calvário, da ressurreição de Cristo, nem da vinda do Espírito em Pentecostes. Apesar de seu zelo, faltava-lhe conhecimento espiritual” (Comentário Wiersbe).
Apolo deve ter se familiarizado com o testemunho de João sobre Jesus como o Messias. Quando começou a falar ousadamente na sinagoga, Priscila e Áquila o ouviram e perceberam que algo estava errado. Levaram-no, então, para casa e, com mais exatidão, expuseram o caminho de Deus (v. 26). Priscila e Áquila lhe ensinaram a verdade necessária. 
Sobre esta forma de tratamento dada por Priscila e Áquila ao pregador Apolo que gostaria de comentar. Eles cuidaram do problema de forma discreta. Não ficaram bravos com Apolo, nem foram orgulhosos mostrando que eles sabiam mais do que ele. Bruce diz: “é muito melhor dar esse tipo de ajuda particular a um pregador cujo ministério é defeituoso do que corrigi-lo ou denunciá-lo publicamente!” 
Desta forma, quem saiu ganhando não foi nem Apolo e nem o casal Priscila e Áquila. Foi o reino de Deus. Pois Apolo continuou seu ministério. “Ele auxiliou muito os que pela graça haviam crido” (At 18.27). Que possamos olhar para nossos irmãos com amor. Quando encontrarmos algo errado na atitude de alguém, estejamos dispostos a ajudar. 

Deus age por meio de nós seus filhos.