terça-feira, 22 de outubro de 2019

Nova Jerusalém


Leitura Bíblica: Apocalipse 21.1-4

O mundo e a sua cobiça passam, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre (1Jo 2.17).

A Nova Jerusalém, o novo céu e a nova terra, é uma promessa especial de Deus para nós seus filhos. A Nova Jerusalém será nosso novo lar. Substituirá o mundo que vivemos. Uma promessa de grande alegria: “já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram” (Ap 21.4). O texto diz que a morte já não existe. Esta promessa traz também uma lembrança importante: Esta primeira terra deixará de existir. A morte que ainda existe, um dia não existirá mais. “Não importa o quanto tentemos manter a ilusão, não podemos lutar contra a dura realidade de cada criatura nesse mundo caído. Tudo o que vive está em processo de morte. Esse mundo e tudo o que existe nele vai passar” (Paul David Tripp). Embora a morte não deveria existir, o pecado a trouxe ao mundo. O fim faz parte da história. É caminho de um novo começo. 
Por isso, devemos lembrar das palavras de Paulo quando disse que: “os que se utilizam do mundo, devem viver como se dele não usassem; porque a aparência deste mundo passa” (1Co 7.31). Também é preciso seguir o conselho de Pedro que disse: “O fim de todas as coisas está próximo. Portanto, sejam criteriosos e estejam alertas; dediquem-se à oração. Sobretudo, amem-se sinceramente uns aos outros (1Pe 4.7-8a).
Saber que vamos morrer e que tudo que existe hoje, um dia vai deixar de existir, não é motivo para tristeza ou desânimo. Este conhecimento serve para nos lembrar o quanto somos pecadores e carentes da graça e salvação. Isso nos faz viver baseados nas promessas celestiais e não nas conquistas momentâneas deste mundo. 
Estejamos firmes, certos que Deus é o nosso redentor, ele fortalece nossa vida nos momentos mais difíceis. Ele estará conosco quando passarmos pelo vale da sombra da morte. “Deus é o nosso Deus para todo o sempre; ele será o nosso guia até o fim” (Sl 48.14). Devemos sempre nos alegrar e nada temer. 

O fim marca o novo e perfeito começo.