terça-feira, 29 de outubro de 2019

“Para inglês ver”


Leitura Bíblica: Neemias 8.5-8

O coração deles é insensível, eu, porém, tenho prazer na tua lei (Sl 119.70).

A expressão “para inglês ver” é definida pelo dicionário Houaiss como: “para efeito de aparência, sem validez”. Existem várias explicações sobre a origem desta conhecida frase. A mais aceita diz que a partir de 1807 o Reino Unido proibiu o tráfico de escravos em suas colônias, abolindo definitivamente a escravidão em seus territórios a partir de 1833. Daí em diante, começaram uma agressiva campanha pelo fim do escravismo nos demais países, inclusive aproveitando-se de sua supremacia marítima na ocasião. Em 1826, obrigou o Brasil, que havia recentemente adquirido sua independência, a firmar um tratado de abolição do tráfico em três anos, o que não foi efetivamente cumprido. Mas a intensa pressão britânica levou o governo a promulgar a Lei Feijó, em 1831, que declarava livres os africanos desembarcados em portos brasileiros a partir daquele ano. Mas o sentimento geral era de que a lei não seria cumprida, fazendo circular pela Corte, inclusive na Câmara dos Deputados, o comentário de que o Regente Feijó fizera uma lei só “para inglês ver’. Ficou, assim, a expressão que designa tanto leis que só existem no papel, como também qualquer outra coisa feita apenas para preservar as aparências, sem que efetivamente ocorra.
Hoje ainda há muitas leis que só existem no papel, “para brasileiro ver”. Leis que não são respeitadas. Algumas nem são conhecidas. Existem também muitas leis e ensinamentos que foram escritos por Deus para nós. Leis que devem ser cumpridas para o nosso bem. Infelizmente, a frase escrita “para Deus ver” cabe em alguns momentos. Isso ocorre quando fazemos algo por aparência, dizendo ser para Deus. Na verdade, acabamos fazendo para “o homem ver”. Pois Deus tudo vê. Ele reconhece quando nossas ações não são verdadeiras. Que possamos aprender, conhecer e respeitar a lei de Deus. Elas nos conduzem à verdade e à vida. 

A lei do Senhor é perfeita.