sexta-feira, 11 de outubro de 2019

Proclame a Cristo


Leitura Bíblica: 1João 1.2b-4

Meu Pai é glorificado pelo fato de vocês darem muito fruto; e assim serão meus discípulos (Jo 15.8).

A vida se manifestou, Jesus nos visitou. Deus nos enche de sua graça. Quando você experimenta essa vida que é real, a vida de Cristo, a vida eterna, então você tem uma grande alegria em partilhar essa vida com outras pessoas. 
O Rev. Hernandes Dias Lopes, em seu comentário sobre este texto, diz que a proclamação de Cristo visa dois propósitos: Em primeiro lugar, promover comunhão com o Pai, com o Filho e uns com os outros. João escreve: “O que temos visto e ouvido anunciamos também a vós outros, para que vós, igualmente, mantenhais comunhão conosco” (1Jo 1.3). A doutrina apostólica é a base para a verdadeira comunhão. “Muitos acreditam que ela se baseia primariamente em trabalhos conjuntos de evangelização, obras de caridade, shows gospel, marcha para Jesus ou luta em defesa dos direitos humanos. Acreditam erradamente que definições doutrinárias e exatidão teológica levam à divisão entre os crentes” (Augustus Nicodemus). 
Em segundo lugar, promover completa alegria. “Estas coisas, pois, vos escrevemos para que a nossa alegria seja completa” (1Jo 1.4). “A comunhão é a raiz da alegria; a alegria é o fruto da comunhão. A comunhão é a resposta de Cristo para a solidão da vida; alegria é a sua resposta para o vazio e a superficialidade da vida” (HDL). Harvey Blaney diz que comunhão com o Senhor e comunhão com os irmãos constituem a base do nosso gozo mais elevado. Onde buscamos nossa alegria? Maior alegria temos no evangelho. A presença do Espírito Santo em nós produz paz. O fruto do Espírito é alegria.  
Todos nós que conhecemos a Deus devemos proclamar a Cristo. A mudança que o evangelho gera em nós será compartilhada com aqueles que também conhecerem a Jesus. Todos nós devemos estudar e buscar conhecer mais a Palavra de Deus. A boa doutrina traz comunhão, nos aproxima de Deus e de nossos irmãos e também nos enche de alegria. 

Só na presença de Deus há plenitude de alegria.