sábado, 2 de novembro de 2019

Única esperança!


Leitura Bíblica: Romanos 14.7-8

Tu estás em nosso meio, ó Senhor, e nós pertencemos a ti; não nos abandones! (Jr 14.9b)

A primeira pergunta do Catecismo Nova Cidade é a seguinte: Qual é nossa única esperança na vida e na morte? Resposta: Que não somos de nós mesmos, mas pertencemos, de corpo e alma, na vida e na morte, a Deus e a nosso Salvador, Jesus Cristo. “Não somos de nós mesmos: tanto quanto possível, devemos nos esquecer de nós mesmos e de tudo que é nosso. Por outro lado, somos de Deus: portanto, devemos viver e morrer por ele” (Calvino). Nossos planos e sonhos devem ser coerentes com a vontade de Deus. A vontade de Deus deve ser a nossa vontade. Nossa mente deve ser dirigida pela sabedoria de Deus. Nosso guia é a Palavra de Deus. 
“Não podemos viver como se pertencêssemos a nós mesmos. Isso significa várias coisas. Primeiro, que não determinamos para nós o que é certo ou errado. Entregamos o direito de determinar isso e dependemos totalmente da Palavra de Deus. Também abrimos mão do princípio operante que, em geral, empregamos na vida cotidiana; deixamos de nos colocar em primeiro lugar e sempre colocamos nesse patamar o que agrada a Deus e demonstra amor ao  próximo. Significa também que não temos nenhuma parte da vida que seja imune à entrega de si mesmo. Devemos entregar-nos inteiramente a ele - de corpo e alma. Isso quer dizer que confiamos em Deus nas alegrias e nas provações, nos tempos bons e nos tempos ruins, na vida e na morte” (Timothy Keller).
Viver com Deus é a única opção verdadeira. A única alternativa correta. Sem Cristo não existe vida. Em Deus existimos, enquanto vivemos, para o Senhor devemos viver, quando morrermos, para o Senhor iremos. Acima de tudo e todas as circunstâncias devemos viver uma vida que traga honra e glória a Deus. Devemos lembrar que somos “geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo exclusivo de Deus, para anunciar as grandezas daquele que os chamou das trevas para a sua maravilhosa luz” (1Pe 2.9).

Entregar-se a Deus não significa renunciar e sim ganhar.