sábado, 24 de setembro de 2011

Oração

Por Philip Yancey – Do livro Oração
Ben Patterson, conta um incidente em que ele rompeu uma articulação e o médico lhe prescreveu seis semanas de repouso total. Sob efeito de medicação pesada e deitado de costas, ele descobriu que a leitura era praticamente impossível. Neste estado de incapacitação, aprendeu uma lição importante sobre a oração.

Eu estava desolado.
Aterrorizado também. O que significaria tudo aquilo? Como cuidaria de minha família? E como ficaria a igreja? Eu era o único pastor dela e não podia fazer nada a seu favor.  Por puro desespero, resolvi orar pela igreja. Abri o rol de membros e passei a orar em favor de cada um diariamente. Levava perto de duas horas, mas, sendo que não havia nada mais que eu pudesse fazer pela igreja, imaginei que bem poderia orar por ela. Não foi a religiosidade que me motivou: foi o tédio e a frustração. Mas com o passar das semanas a oração se tornou suave. Um dia, perto do fim da convalescença, eu estava orando e disse ao Senhor: “Sabe, foram maravilhosos estes dias prolongados que passamos juntos. É uma pena que eu não tenha tempo para isso quando eu estou bem de saúde”.   
A resposta de Deus veio rápida e cortante. Disse-me ele: Ben, quando está com saúde você tem exatamente o mesmo tempo que tem quando está doente. São as mesmas 24 horas nos dois casos. O problema é que quando está bem, você pensa que é o encarregado. Quando está doente, você percebe que não é”.